Brasil na mira do Estado Islâmico

A possibilidade de sermos o primeiro país latino-americano a sofrer um atentado terrorista feito pelo Estado Islâmico aumentou este ano, já que a ABIN —Agência Brasileira de Inteligência — confirmou a autenticidade de uma mensagem feita por um integrante do grupo terrorista ameaçando o país.

Sem título.png

A publicação que afirmava: “Brasil, vocês são o nosso próximo alvo, nós podemos atacar seu país de merda.” foi feita pelo francês Maxime Hauchard, adepto ao regime, e postado em seu Twitter. A mensagem foi publicada logo após os atentados na França, contudo a ABIN só confirmou a suposta ameaça este mês, já que precisava confirmar a veracidade da conta.

Com mais de 50 atentados ao redor do mundo, contando com o mais recente em Bruxelas, na Bélgica, que deixou mais de 30 mortos e 200 feridos, o Estado Islâmico tornou-se um dos grupos terroristas mais perigosos do mundo.

Com ideais extremistas do islamismo, baseando sua militância de acordo com o Alcorão — livro sagrado do islã que os muçulmanos acreditam ser a palavra direta de Deus a Maomé —, o antigo Estado Islâmico no Iraque e na Síria (ISIS) e hoje denominado apenas como Estado Islâmico, vem tomando forma com cada vez mais adeptos ao regime totalitário e expansionista.

Sua ideologia marcada pelo ódio aos xiitas, assírios, cristãos e especialmente aos Estados Unidos, deixou um rastro sangrento, já que eles propagam a imposição do ultraconservadorismo islâmico, que os obriga a viver de acordo com a lei charia —o código de leis islâmico — e aqueles que se recusam são condenados a torturas, mutilações ou morte.

O apogeu de seu surgimento sobreveio após seu líder, Abu Bakr al-Baghdadi, se auto proclamar califa — sucessor de Maomé — instituindo o Estado Islâmico como um califado sobre os muçulmanos de todo o mundo, fato que não foi aprovado pela sociedade internacional muçulmana.